Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

100 Guilty Pleasures

Todos temos um. Para cada dia da semana.

100 Guilty Pleasures

Todos temos um. Para cada dia da semana.

Como perdi a oportunidade de ser Euromilionário

por Zé, em 21.08.13

 

Os meus últimos dias têm sido passados a escrever listas com o seguinte título: "o que o Zé faria se ganhasse o Euromilhões". Pensamento temporário, pois as hipóteses de ganhar qualquer coisita, nem que sejam 5 euros, nessa febre dos milhões estão mais próximas do 0 do que de 100 por cento.

 

Para ser sincero nunca achei grande piada aos jogos da sorte. Nos tempos de miúdagem, o meu pai adorava passar para as mãos deste pestinha o boletim do Totobola (alguém se lembra da musiquinha que passava na televisão? Totobola 1X2, lalalalala). Regra geral, colocava cruzinhas nos números de sempre. Nem um cêntimo alguma vez saiu daquelas bolinhas mágicas.

 

Até há bem pouco tempo não ligava patavina ao sorteio do Euromilhões. Ou melhor: só prestava atenção á Marisa Cruz (a rapariga ainda está ali para as curvas). Os números nunca me interessaram "isto só sai a peixeiras do Norte com fama de desbocadas". Mas, meus amigos, parece que a sorte quer bater à minha porta, mas não sabe como. Ontem, dia do sorteio habitual do Euromilhões, resolvi passar pela papelaria aqui da zona. Ás 6 da tarde, com quase 40 graus de temperatura, uma fila enorme quase que dava a volta ao quarteirão. Lá peguei num boletim, meti as cruzinhas nos números que me vieram à cabeça e esperei pela minha vez. Esperei. E voltei a esperar. "Ai que a mulher nunca mais despacha isto". "Chiça que aquele marmanjo de bigode deve ter gasto o ordenado todo a fazer o Euromilhões". "Ó senhora, avance lá com a maquineta que hoje dá bola na televisão e eu ainda tenho de ir ao Pingo Doce".

 

Conclusão: sai da fila e enfiei o raio do boletim no bolso, sem o ter entregue. Ás 9 e meia da noite, quando a menina do Euromilhões anunciou a chave oficial, voltei a olhar para o boletim amarrotado. A esta hora, poderia estar milionário. Sim, caros leitores, naquele fatídico boletim desenhei cuidadosamente bolinhas em torno do 5, 11, 42, 49 e 50 e das estrelas 8 e 11. 80 milhões de euros. Leram bem: neste momento poderia estar a caminho das Maldivas. Mas a senhora da papelaria não deixou e o peixe do Pingo Doce já estava à minha espera.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2013
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Favoritos